POESIA. EDUARDA DE ANDRADE MENDES

Amigos

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

SEM EXISTENCIA

                                        photo by bauza


há algo que me intriga neste existir...
que me confunde...que me estreita a pele
numa argamassa mistificada de nadas,
onde impera somente o silêncio dos outros.

há algo que me supera,
há o pobre e o rico que me degolam,
que me suturam as veias,
numa epiderme irónica e ressequida.

há neste labirinto rugas amordaçadas
que lhes conferiram na hora da morte...
a herança do não saber existir.

eduarda